NOTÍCIAS

Alpek Polyester amplia portfólio global de produtos

A partir do primeiro trimestre de 2021, a Alpek Polyester começará a produzir uma nova resina para uso em aplicações de embalagens PET de águas, óleos comestíveis, alimentos, lácteos, cosméticos, produtos de limpeza e lâminas. Trata-se do primeiro item do portfólio global da companhia, que será produzido na planta da Alpek Polyester no Brasil, a PQS, localizada em Ipojuca (PE).

Comum na América do Norte, a resina Laser+ ® E60A possui características que se assemelham às resinas atualmente oferecidas no Brasil, entretanto oferece vantagens técnicas que podem substituir as atuais resinas fornecidas no mercado interno, sendo um produto mais versátil e que permite atender uma ampla gama de aplicações. Por esta razão, o objetivo é substituir durante o próximo ano, duas das resinas atualmente produzidas no Brasil (MW e CSD) pela Laser+ ® E60A. 

“A iniciativa faz parte de um processo corporativo de padronização de produtos, que tem como objetivo fornecer produtos globais e simplificar a oferta, facilitando a operação dos clientes e oferecendo maior segurança no abastecimento”, explica Felix Lavin, vice-presidente da Alpek Polyester na América do Sul e diretor do negócio no Brasil.

“A iniciativa faz parte de um processo corporativo de padronização de produtos, que tem como objetivo fornecer produtos globais e simplificar a oferta, facilitando a operação dos clientes e oferecendo maior segurança no abastecimento”, explica Felix Lavin, vice-presidente da Alpek Polyester na América do Sul e diretor do negócio no Brasil.

Ao longo dos anos, a Alpek Polyester desenvolveu um número significativo de produtos em seu portfólio de Resinas PET. De acordo com o diretor comercial da América do Sul, Emilio Larrañaga, agora a companhia trabalha para otimizar essa carteira oferecendo opções mais modernas que reúnem mais vantagens em um único produto. “Por se tratar de um item produzido em escala global pela Alpek Polyester, o comprador brasileiro passará a contar com maior garantia de fornecimento, uma vez que o produto também é feito em outras unidades do Grupo”, afirma.

Ao longo dos anos, a Alpek Polyester desenvolveu um número significativo de produtos em seu portfólio de Resinas PET. De acordo com o diretor comercial da América do Sul, Emilio Larrañaga, agora a companhia trabalha para otimizar essa carteira oferecendo opções mais modernas que reúnem mais vantagens em um único produto. “Por se tratar de um item produzido em escala global pela Alpek Polyester, o comprador brasileiro passará a contar com maior garantia de fornecimento, uma vez que o produto também é feito em outras unidades do Grupo”, afirma.

A substituição total das resinas MW e CSD pela Laser+ ® E60A obedecerá a um cronograma que será divulgado, em breve, pela PQS. No entanto, a nova resina já está disponível para testes iniciais, e adicionalmente o produto já possui a homologação para contato com alimentos perante às autoridades sanitárias do Mercosul, União Européia e Estados Unidos.

A ALPEK POLYESTER – companhia pertencente ao grupo mexicano Alpek, que atua no segmento de Poliéster operando industriais nos Estados Unidos, México, Canadá, Brasil, Argentina e Reino Unido. É produtora de resina PET a nível global e a maior produtora de PTA (ácido tereftálico purificado) no continente americano. Em 2018, adquiriu no Brasil a PQS, complexo formado pela PetroquímicaSuape e pela Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (CITEPE), localizado em Ipojuca-PE, onde são produzidos o PTA, a resina PET e filamentos têxteis.

NOTÍCIAS

Alpek Polyester amplia portfólio global de produtos

A partir do primeiro trimestre de 2021, a Alpek Polyester começará a produzir uma nova resina para uso em aplicações de embalagens PET de águas, óleos comestíveis, alimentos, lácteos, cosméticos, produtos de limpeza e lâminas. Trata-se do primeiro item do portfólio global da companhia, que será produzido na planta da Alpek Polyester no Brasil, a PQS, localizada em Ipojuca (PE).

Comum na América do Norte, a resina Laser+ ® E60A possui características que se assemelham às resinas atualmente oferecidas no Brasil, entretanto oferece vantagens técnicas que podem substituir as atuais resinas fornecidas no mercado interno, sendo um produto mais versátil e que permite atender uma ampla gama de aplicações. Por esta razão, o objetivo é substituir durante o próximo ano, duas das resinas atualmente produzidas no Brasil (MW e CSD) pela Laser+ ® E60A. 

“A iniciativa faz parte de um processo corporativo de padronização de produtos, que tem como objetivo fornecer produtos globais e simplificar a oferta, facilitando a operação dos clientes e oferecendo maior segurança no abastecimento”, explica Felix Lavin, vice-presidente da Alpek Polyester na América do Sul e diretor do negócio no Brasil.

“A iniciativa faz parte de um processo corporativo de padronização de produtos, que tem como objetivo fornecer produtos globais e simplificar a oferta, facilitando a operação dos clientes e oferecendo maior segurança no abastecimento”, explica Felix Lavin, vice-presidente da Alpek Polyester na América do Sul e diretor do negócio no Brasil.

Ao longo dos anos, a Alpek Polyester desenvolveu um número significativo de produtos em seu portfólio de Resinas PET. De acordo com o diretor comercial da América do Sul, Emilio Larrañaga, agora a companhia trabalha para otimizar essa carteira oferecendo opções mais modernas que reúnem mais vantagens em um único produto. “Por se tratar de um item produzido em escala global pela Alpek Polyester, o comprador brasileiro passará a contar com maior garantia de fornecimento, uma vez que o produto também é feito em outras unidades do Grupo”, afirma.

Ao longo dos anos, a Alpek Polyester desenvolveu um número significativo de produtos em seu portfólio de Resinas PET. De acordo com o diretor comercial da América do Sul, Emilio Larrañaga, agora a companhia trabalha para otimizar essa carteira oferecendo opções mais modernas que reúnem mais vantagens em um único produto. “Por se tratar de um item produzido em escala global pela Alpek Polyester, o comprador brasileiro passará a contar com maior garantia de fornecimento, uma vez que o produto também é feito em outras unidades do Grupo”, afirma.

A substituição total das resinas MW e CSD pela Laser+ ® E60A obedecerá a um cronograma que será divulgado, em breve, pela PQS. No entanto, a nova resina já está disponível para testes iniciais, e adicionalmente o produto já possui a homologação para contato com alimentos perante às autoridades sanitárias do Mercosul, União Européia e Estados Unidos.

A ALPEK POLYESTER – companhia pertencente ao grupo mexicano Alpek, que atua no segmento de Poliéster operando industriais nos Estados Unidos, México, Canadá, Brasil, Argentina e Reino Unido. É produtora de resina PET a nível global e a maior produtora de PTA (ácido tereftálico purificado) no continente americano. Em 2018, adquiriu no Brasil a PQS, complexo formado pela PetroquímicaSuape e pela Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (CITEPE), localizado em Ipojuca-PE, onde são produzidos o PTA, a resina PET e filamentos têxteis.

Entre em contato com as áreas comerciais, esclareça suas dúvidas ou solicite um orçamento SEJA UM CLIENTE